Conheça o megaiate nuclear projetado para salvar o mundo

Business

Símbolo máximo de riqueza, os superiates tiveram um grande aumento na demanda durante a pandemia, à medida que os ultra-ricos ansiavam por privacidade e distanciamento social em sua forma mais luxuosa e exclusiva.

Os pedidos fluíram, aumentando a frota global crescente de milhares de superiates – definidos como barcos de luxo com pelo menos 25 metros de comprimento e tripulação profissional.

Grandes superiates têm um impacto desproporcionalmente negativo no planeta. De acordo com um cálculo feito por antropólogos da Universidade de Indiana, um superiate que tenha uma tripulação permanente, um heliporto, submarinos e piscinas emite mais de 7.000 toneladas de CO2 por ano.

Multiplicado por 300 – aproximadamente o número de superiates em todo o mundo que cabem nessa conta – isso equivale a mais de 2 milhões de toneladas de CO2, mais do que as emissões anuais individuais de cerca de um quarto de todos os países do mundo.

Agora, uma nova proposta para esse tipo de embarcação visa alavancar a aura de luxo do superiate e mesclá-lo com a pesquisa científica para criar um meganavio livre de emissões que reunirá cientistas do clima e os ricos em uma ousada busca para salvar o planeta.

“Por que não pegar as pessoas mais ricas do mundo, reuni-las com os cientistas mais inteligentes e brilhantes e permitir que experimentem em primeira mão o que está acontecendo?”, questiona Aaron Olivera, empresário nascido em Gibraltar, residente em Singapura, que está por trás da ideia.

“As pessoas ricas podem entrar na Internet e comprar o que quiserem, mas não podem comprar um novo modelo mental para ver o mundo.”

Fonte: CNN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.