UNIVERSOS PARALELOS: De frenquências futuras ao Cosmos Gucci

Business Evento

O Gucci Art Space e a Christie’s 3.0 se unem para apresentar um novo leilão digital, navegando pela moda, arte e tecnologia através das lentes visionárias dos 102 anos de história da Gucci.

história da Gucci.

Seguindo o Future Frequencies: Explorations in Generative Art and Fashion, a Christie’s e a Gucci agora revelam o segundo capítulo exploratório sobre os aspectos interseccionais de moda, arte e tecnologia.

Visando testar, experimentar e incentivar um pensamento verdadeiramente

vanguardista, com o objetivo de impulsionar ideias radicais para as realidades futuras, este novo leilão colaborativo é inspirado na Gucci Cosmos, uma exposição vanguardista das criações mais iconicas da Casa em seus 102 anos de história, concebida e projetada por Es Devlin, com uma curadoria especial de modelos únicos do arquivo da Gucci por Maria Luisa Frisa – recém aberta no

180 The Strand, em Londres.

Intitulado significativamente como Parallel Universes: from Future Frequencies to Gucci

Cosmos, o leilão está aberto para lances até o dia 28 de novembro de 2023 no Gucci Art Space, a galeria online da marca que destaca e capacita artistas, proporcionando-lhes a liberdade para alcançar territórios inexplorados, lançado em julho de 2022. Livre de paredes físicas, este ambiente puramente digital apresenta um redemoinho imersivo de criatividade, desta vez com obras de nove notáveis artistas com foco em Generative Systems: Alexis Andre, Alexis Christodoulou, Amy Goodchild, Harvey Rayner, Jacqui Kenny, Jo Ann, Melissa Wiederrecht, Sasha Stiles e Thomas Lin Pedersen.

Através do leilão, os artistas foram convidados a liberar o potencial máximo dos Generative Systems para explorar novas maneiras de revolucionar a moda e de criar novas camadas de expressão: interativas e como verdadeiros portais para o futuro. Eles foram desafiados a se confrontar com os temas presentes nos arquivos da Gucci, ecoando as salas da exposição física e refletindo progressivamente sobre como os clássicos capítulos estéticos definidos pelas épocas da Casa não apenas espelharam os tempos, mas também os definiram. Usando sistemas generativos, os jovens artistas traduziram esses temas que definem bem o legado e a origem da Gucci – desde Londres de 1897, quando o jovem Guccio Gucci conseguiu um emprego como carregador de bagagens no Hotel Savoy, até o nascimento de signos estéticos lendários, como o Horsebit, a estampa Flora, e, mais recentemente, o Gucci Rosso Ancora – para novos horizontes que um dia poderia se tornar realidade, resultando em conversas significativas entre diferentes épocas e suas estéticas em constante evolução, enquanto o passado infunde o futuro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *