Pessoas sem Deficiência precisam entender seu lugar na luta anticapacitista’, Adverte Ivan Baron, influencer da inclusão sobre protagonismo das pessoas com deficiência

Lifestyle

A criação de estereótipos, falta de representação, espaços inacessíveis e efeitos psicológicos são alguns dos efeitos do capacitismo, o preconceito com pessoas que possuem deficiência. Quase 1/4 da população do Brasil tem algum tipo de deficiência, como mostram os dados levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2019. Pelo menos 45 milhões de pessoas lidam com isso. Então, lutar pelo fim do capacitismo não é só extremamente necessário, como é nosso dever como sociedade.

O ativista Ivan Baron, influenciador da inclusão, que desafia os preconceitos sobre a paralisia cerebral que teve aos três anos de idade e leva conteúdos consistentes e informativos sobre a luta das pessoas com deficiência para seus mais de 400 mil seguidores acredita que, na batalha pela luta anticapacitista todos devem lutar, porém, sem esquecer que o verdadeiro protagonista são as pessoas com deficiência. “Infelizmente vemos muitas pessoas sem deficiência cobrando por palestras ou eventos para falar sobre o assunto, tomando o lugar de uma pessoa com deficiência. É importante que as pessoas não usem nossa pauta pra monetizar ou ganhar visibilidade. Escutem e entendam que as pessoas com deficiência realmente querem e nos ajudem nessa causa” – propõe, Ivan.

Hoje, além do sucesso nas redes sociais, já palestrou em diversas escolas e também no Museu de Arte Moderna de São Paulo. E por onde passa, deixa uma mensagem para outras pessoas com deficiência que continuam na busca de conquistar os seus espaços. O objetivo do influencer da inclusão é desconstruir a imagem estigmatizada que as pessoas têm de alguém com deficiência, mostrar que todos são sujeitos de possibilidades e que podem ser, falar, gostar e viver do jeito que quiserem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.