INVOGA PERSONA, COM BÁRBARA FRANÇA: “ATUAR REFINOU MEU OLHAR DE EMPATIA”

Lifestyle Moda

“A cada personagem novo é um mundo de possibilidades, é como colocar óculos diferentes e ver a vida em outro ângulo, a partir de outra perspectiva”. Em entrevista exclusiva como capa do nosso “Persona”, a atriz e jornalista Bárbara França conta mais sobre suas visões de mundo, assim mesmo, no plural. Do estrelato em Malhação a mudança de emissora, passando pelo desafio de retomar as gravações em um cenário ainda pandêmico, pela descoberta da meditação e pela responsabilidade nas redes sociais… Bárbara pode até ser metade carioca, metade mineira, mas se tem algo que também é nessa vida é inteira. Vem espiar como ela “se jogou” nesse papo com a gente!

 

 

INVOGA: VOCÊ SEMPRE SONHOU EM SER ATRIZ?

BF: Eu sempre tive vontade de seguir a carreira de atriz. E desde pequena isso já se manifestava em mim. Eu pedia muito para os meus pais me levarem para teatro. Então, eles me incentivaram muito também me levando ao teatro e cinema. Eu tinha uma coleção de fitas VHS de vários filmes, amava esse universo da televisão, do teatro. Ainda no colégio comecei a fazer o teatro. Fui crescendo, além de teatro, fui fazendo workshops e cursos de TV. Enfim, as coisas foram foi fluindo, se desenvolvendo e comecei realmente a estudar para seguir uma carreira de atriz. Com 13 anos de idade, eu já tirei meu DRT e as coisas foram acontecendo, mas isso sempre foi um desejo desde pequena, porém eu achava importante ter um ‘plano b’, um segundo caminho, sabe? Fiz a faculdade de jornalismo e hoje sou atriz e jornalista.

INVOGA: VOCÊ NASCEU EM MINAS GERAIS, MAS CRESCEU NO RIO DE JANEIRO. QUAL A DIFERENÇA DE CADA CIDADE (MINAS E RJ) NA SUA VIDA?

BF: Sim, na verdade toda minha família por parte de mãe é mineira. Só que minha mãe veio para o Rio com 17 anos de idade. E aí desde então ela está aqui no Rio, mas, quando eu já estava prestes a nascer, com quase nove meses, ela foi lá para São Lourenço, que é sul de Minas, onde eu nasci só para que realmente eu nascesse mineira, pois ela fazia questão que eu nascesse mineirinha lá em São Lourenço. Até os meus dois anos de idade fiquei em São Lourenço e tenho lembranças remotas, claro, porque eu tinha 2 anos de idade, mas tenho uma memória muito emotiva para mim, muito familiar de casa de família e a vida inteira eu ia para São Lourenço para visitar minha família. Tenho a lembrança de Casa de Tia, sabe? Aquele cafezinho à tarde com pãozinho de queijo, o torresminho, feijão tropeiro… Eu brincando na roça, lembranças que são muito especiais. Ela (a cidade de Minas) é muito ativa na minha vida, porque eu sempre vou para São Lourenço e o Rio é a minha cidade do coração. Eu fui criada mesmo no dia a dia aqui no Rio de Janeiro e eu amo essa cidade. Costumo brincar que “preciso estar sempre em contato com a minha cidade em São Lourenço, curtir minha cidade no sul de Minas, ficar com a minha família lá no meio do mato, na roça, na cachoeira, na natureza mas no máximo por duas semanas! Rs Eu preciso voltar pro RJ porque gosto dessa correria. Eu gosto desse dia a dia agitado do Rio de Janeiro e minha cidade do coração também. As minhas duas cidades são igualmente importantes em minha vida.

INVOGA: VOCÊ COSTUMA POSTAR BASTANTE CONTEÚDO COM SUA MÃE, A PSICÓLOGA TINA FERNANDES. COMO É A RELAÇÃO DE VOCÊS NO DIA A DIA?

BF: A minha mãe é, além de ser uma mãe maravilhosa pra mim, minha grande cúmplice! Ela é minha grande parceira e minha grande amiga. Ela é a minha grande incentivadora desde pequenininha. Quando eu escolhi essa profissão para mim, ela me apoiou e fez de tudo para me ajudar no que ela podia. A relação que a gente tem é muito bonita, muito especial, porque transborda além da relação de mãe e filha, uma relação de parceria, uma amizade, sabe? Malhamos, meditamos juntas.

Nos divertimos juntas. Na quarentena, nossa relação se intensificou muito! Éramos eu e ela 24 horas juntas, o tempo inteiro. E, mesmo sendo um momento muito difícil, triste e de muita insegurança para todos por conta da covid, para nós foi maravilhoso porque ressignificamos esse momento. Fazíamos Tik Tok juntas, meditávamos, malhávamos, cozinhávamos.

 

INVOGA: QUAL A INFLUÊNCIA OU, COMO IMPACTOU EM VOCÊ O FATO DE TER UMA MÃE PSICÓLOGA?

BF: Foi muito bom o fato da minha mãe ser psicóloga porque desde quando eu era bem pequenininha, ela sempre fez muita questão do diálogo na nossa relação. Na verdade, tanto ela quanto meu pai. Meus pais são muito abertos, então eles sempre conversaram sobre tudo comigo. Sempre tivemos uma relação de muito diálogo mesmo. Então nunca me senti insegura e nem com receio ou vergonha de perguntar ou de tocar em qualquer assunto. Sempre me senti muito à vontade para conversar abertamente com eles e até hoje é uma característica muito poderosa da nossa relação que acho fundamental da minha criação. Meu pai fez terapia durante muitos anos da vida dele e minha mãe é psicóloga e também faz terapia. Então, desde pequena e até hoje em dia, é fundamental para mim.

INVOGA: QUAIS SÃO SEUS HOBBIES FAVORITOS? O QUE VOCÊ GOSTA DE FAZER QUANDO TEM TEMPO LIVRE, PARA RELAXAR?

BF: Acho que meu principal hobby é viajar, sabe? Sempre que posso, que tenho um tempinho livre, viajo para recarregar as minhas energias. Normalmente, gosto de ir para lugares onde tenha muita natureza. Cachoeira, mato, praia. Eu adoro estar em contato com a natureza sempre que posso pois o meu dia a dia é tão corrido, principalmente quando estou gravando então sinto muita falta de me isolar e ir para da natureza é fundamental. Às vezes, indo para o trabalho, pego um caminho diferente que eu consiga ir pela praia, sabe? (rs) pra dar uma recarregada. Durante as viagens gosto de meditar, exercitar, ler livros e estar perto da minha família.

INVOGA: O QUE VOCÊ COSTUMA FAZER PARA TRABALHAR EM SEU CRESCIMENTO, EVOLUÇÃO PESSOAL E PROFISSIONAL?

BF: Isso tudo me bateu muito forte nessa quarentena. Eu criei o hábito de todos os dias meditar! Todos os dias eu acordava meditava com a minha mãe. Isso não é papinho não, hein? A meditação transformou de verdade os meus dias. Eu falei: ‘pronto, achei a chave pra tudo nessa vida! E, desde então, antes da quarentena eu já meditava mas eu não tinha essa constância por conta das gravações. Meus dias são muito corridos, então, às vezes, eu chegava muito cansada em casa tinha que decorar texto e estar na Record pra gravar cedo no dia seguinte eu não conseguia priorizar isso na minha rotina. Depois da quarentena, quando vivi muita coisa a respeito de autoconhecimento, comecei a fazer ioga (algo que eu nunca tinha feito porque eu sou muito ansiosa) e comecei a meditar todos os dias. Há muitos anos eu também oro todos os dias, mas, recentemente, a meditação me abriu um caminho que me fez enxergar o mundo com os outros olhos. Busco também estar sempre, nos intervalos entre um trabalho e outro, fazer cursos livres, workshops, estar em contato com a prática e aprendendo sempre sobre a minha profissão.

 

INVOGA: QUAIS FORAM OS IMPACTOS QUE INTERPRETAR PERSONAGENS COMO BÁRBARA, EM MALHAÇÃO, TROUXERAM NA SUA VIDA?

BF: A ‘Malhação’ e a personagem Bárbara, minha xará da temporada “Pro dia nascer feliz”, foi um divisor de águas da minha vida tanto profissional quanto pessoal porque muita coisa mudou na minha vida depois de ‘Malhação’. É impressionante o impacto e alcance que a ‘Malhação’ tem. Até hoje, 3, 4 anos depois da novela as pessoas me param nas ruas pra falar da vilã Bárbara. Ela me trouxe esse reconhecimento das pessoas. Uma vez, na minha cidade natal de 45.000 habitantes, eu não consegui andar no centro cidade porque veio tanta gente, mas tanta gente falar comigo que parecia que eu estava numa festa! Eu não conseguia andar e eu falei “Mãe, meu Deus!” Eu fiquei assustada de fato. Foi ali que eu havia entendido que tudo mudou e profissionalmente falando foi um grande aprendizado. Foi minha primeira novela e eu peguei uma personagem muito bacana. Ela era uma vilã, então, existe uma carga muito grande de texto, foi algo muito intenso. E pude contar com veteranos como a Deborah Secco, Marcos Pasquim, Thiago Fragoso… Foi meu primeiro contato realmente com a profissão de atriz. Foi um aprendizado maravilhoso poder contracenar com esses atores veteranos que admiro muito e foi, de fato, o grande presente da minha vida.

INVOGA: QUAIS OS MAIORES PRAZERES E DESAFIOS DA ATUAÇÃO?

BF: Atuar é algo tão intrigante, tão fascinante. É uma profissão que te permite viver várias vidas numa vida só. A cada personagem novo é um mundo de possibilidades, é como colocar um óculos diferente e ver a vida de diferentes ângulos, diferentes pontos de vista. Isso acaba sendo um grande aprendizado pra mim como pessoa. É uma profissão muito maravilhosa. Todo dia é completamente diferente do outro. A gente não tem uma rotina. Você viaja, grava em lugares diferentes. É ter sempre novos desafios. Tem dias que a gente não acorda bem, está tristes, ou perdeu um amigo, um parente… ou terminou um relacionamento, mas tem que trabalhar e separar de fato nosso emocional porque é nosso corpo e rosto que estão ali. Não podemos deixar nosso emocional afetar nosso trabalho. Esse distanciamento da vida pessoal e do trabalho é um dos maiores desafios.

INVOGA: EM ‘TEMPO DE AMAR’, O QUE INTERPRETAR A PERSONAGEM ‘CELINA’ TE ENSINOU?

BF: Foi um trabalho muito marcante pra mim porque significou uma transição na minha carreira. Eu tinha acabado de fazer ‘Malhação’, que era uma novela jovem, na qual todo mundo ali estava no mesmo barco. Pra maioria das pessoas era o primeiro trabalho, então, foi uma escola, tava todo mundo aprendendo junto. E aí eu falei: ‘caramba, eu vou sair desse registro aqui, desse registro jovem, de aprendizado em que tá todo mundo no mesmo barco e vou para uma novela das seis, de época, anos 20, dirigida pelo Jayme Monjardim, que é um monstro da televisão brasileira. Indo trabalhar com nomes como Tony Ramos, Débora Evelyn que era minha mãe, o Nelson Freitas que era meu pai… A Marisa Orth que era minha madrinha. Enfim, foi um trabalho que tinha todo esse significado de transição e de amadurecimento tanto profissionalmente como pessoalmente. Aprendi muito e foi muito especial.

 

INVOGA: VOCÊ DISSE QUE SE INSPIROU NA DIDI WAGNER PARA VIVER ‘NICOLE’ EM ‘VERÃO 90’. COMO FOI O PROCESSO PARA SE PREPARAR PARA A PERSONAGEM E VIVE-LA? VOCÊ SE IMAGINA SENDO VJ NA VIDA REAL?

BF: Foi muito legal porque eu cresci assistindo MTV e adorava os programas! Eu assisti todos programas da época, com a Fernanda Lima, Didi Wagner, a Penélope. Eu cresci assistindo a essas mulheres. E eu adoraria não ser VJ mas sim ser repórter, jornalista! Eu tenho diploma de jornalismo, me formei em jornalismo e é uma vertente que eu adoraria trabalhar e cultivar. A comunicação me fascina muito. Tanto atuar que é minha grande paixão, mas acho que apresentar um programa seria muito bacana! Não é à toa que fiz jornalismo. Eu adoraria investir nessa carreira também. Por que não? Eu estava até pensando em fazer um curso de apresentação ou para ser repórter… tenho muita vontade de explorar todos esses horizontes também!

INVOGA: APÓS ‘VERÃO 90’, VOCÊ FEZ TESTES PARA TRABALHOS NO STREAMING NETFLIX MAS ACABOU OPTANDO PELO PAPEL DE FERNANDA VIANNA EM ‘AMOR SEM IGUAL’, NA RECORD. COMO FOI DECIDIR ENTRE UM TRABALHO EM UM FORMATO MAIS ‘NOVO, ATUAL’ COMO O STREAMING DA GIGANTE NETFLIX E OPTAR PELA TRADICIONAL MAS, PARA MUITOS, “ULTRAPASSADA” TELEVISÃO?

BF: O que aconteceu na verdade foi que eu havia feito dois testes pela série na Netflix e nesse mesmo tempo e período fiz um teste pra novela da Record ‘Amor sem Igual’ e aí o que acontece: saiu a resposta da novela antes da série. Eu tinha passado nos dois testes da série e eu ia continuar fazendo outros testes mas quando saiu a resposta da novela, já era uma coisa certa. Então, eu tive que optar entre uma coisa ou outra porque eles inclusive iam ser gravados ao mesmo tempo, no mesmo período. E aí eu pensei: ‘Poxa, eu vou ter uma ótima oportunidade nessa novela, a personagem era muito bacana, é uma das personagens principais.’ O papel na novela teria um peso maior, um tempo de contrato muito bacana e com mais estabilidade… Por isso, acabei optando pela novela. De fato, era algo que eu já tinha certa. A série eu ainda teria que fazer outros testes mesmo tendo passado nos dois que fiz. Eu nunca havia trabalhado na Record, então, seria muito legal também explorar essa nova oportunidade. Fiquei muito feliz e foi um trabalho muito enriquecedor pra mim!

 

INVOGA: NOS SEUS PRIMEIROS TRABALHOS COMO MODELO E ATRIZ, VOCÊ PODE DIVIDIR COM A GENTE ALGUM MOMENTO INESQUECÍVEL DE BOM? E DE RUIM?

BF: Eu acho que um momento inesquecível de bom foi de fato meu primeiro trabalho como atriz que foi linha Direta. Eu tinha 13 anos de idade e eu fiz o caso da Mônica Granuzzo, que foi uma menina que morreu no Rio de Janeiro no final da década de 80. Ela morreu jogada de um prédio no Humaitá aqui no RJ e o corpo dela foi jogado na Vista Chinesa. E olha coincidência: a minha personagem que fiz em ‘Verão 90’, mais de 10 anos depois, foi inspirada nesse caso da Monica Granuzzo. A Nicole (personagem) acabou morrendo de um penhasco de uma casa no Joá e as autoras na época (quando entrei pro elenco da novela) me falaram: “Olha Barbara, a sua personagem ‘Nicole’ teve como referência o caso no Rio de Janeiro que foi muito famoso lá no final da década de 80 e início da década de 90, que foi a morte da Mônica Granuzzo.’ Quando ela falou isso pra mim eu me arrepiei inteira e falei: ‘Meu Deus, olha que coincidência! Meu primeiro trabalho como atriz na TV foi fazendo ‘Linha Direta’ no caso da Mônica Granuzzo e depois de 10 anos eu estou aqui fazendo uma novela e mais uma vez, sobre o caso dela, onde eu morria.’ Enfim, mas eu nunca tive um momento ruim que tenha me marcado de forma negativa, graças a Deus.

INVOGA: QUAIS OS MAIORES APRENDIZADOS QUE SUA CARREIRA TE PROPORCIONOU?

BF: Essa profissão me ensinou muita coisa. Além do fato dela me permitir ter outras experiências e de estar na pele de vários personagens, com convivências diferentes, realidades diferentes, um dos grandes aprendizados foi reforçar a ideia do ‘não julgar’. Muita gente me mandava mensagem me xingando nas redes sociais e eu pensava ‘Gente, que engraçado! Até hoje as pessoas confundem né? Eu sou atriz! Eu não sou a Bárbara da ‘Malhação’! De fato é um personagem no qual a menina é muito problemática, tem muitos problemas. Mas por estar na pele dela eu comecei a entender os motivos pelos quais ela tinha certos comportamentos. Não significa que é certo ou tentando justificar, muito pelo contrário, mas como eu estava na pele dela comecei a ter a percepção de você não sabe o que a pessoa passa na vida para se tornar o que é. Então, esse foi um dos grandes aprendizados: não julgar. Atuar refinou meu olhar de empatia, reafirmou para mim o quanto é importante a gente olhar para o outro e, mesmo sem concordar, tirar essa lente do julgamento.

INVOGA: COM O IMPACTO DA PANDEMIA DO CORONA VIRUS, COMO ESTÁ SENDO TER QUE REINVENTAR-SE NA PROFISSÃO POR CONTA DA MUDANÇA DE FORMATO DAS PRODUÇÕES?

BF: Existe um ‘Novo Normal’, né? Então, tudo mudou, desde o momento em que eu chegava pra gravar e entrávamos no camarim com a máscara que já faz parte da nossa pele. A roupa vestimos vem do figurino toda ensacada e embalada. Temos que fazer todo procedimento sozinhos pois os profissionais não podem encostar na gente. Na hora da maquiagem, cada ator tem o seu próprio material e o maquiador usa uma roupa especial com máscara e ‘face Shield’ e luva. Nas cenas, durante as gravações, nós não podemos tocar uns nos outros por questão de segurança. Não tem mais cena de beijo, não tem mais cena de contato ou compartilhar objeto. É um novo cenário e formato, e o mais importante mesmo é a questão de segurança e eu me senti muito à vontade e segura nesse novo ambiente de trabalho. Mas é claro que a falta do calor humano… ainda mais pra nós, atores. Eu fiz várias cenas chorando e que gostaria de ter sido consolada pelos meus colegas de trabalho em cena, mas não podíamos nos tocar. Tivemos que nos reinventar de uma maneira que tentasse compensar a falta do toque que, pra gente, faz muita diferença também. Numa cena de casal, de romance, não podemos beijar, abraçar e nem fazer carinho no rosto. Tudo foi e tem sido muito diferente e desafiador pra mim como atriz. Eu tive que fazer o meu trabalho de uma maneira que compensasse toda a falta do toque. Tinha que passar tudo pelo olhar.

 

INVOGA: PARA VOCÊ, QUE TAMBÉM TRABALHA COMO INFLUENCIADORA DIGITAL, COMO É COMPARTILHAR SEU CONTEÚDO DE VIDA PROFISSIONAL E PESSOAL PARA 1,1MILHÃO DE PESSOAS NA REDE SOCIAL INSTAGRAM?

BF: Fico muito feliz com esse público que tenho hoje por conta das novelas, dos trabalhos que fiz. Me sinto muito honrada e muito grata pelo carinho diário das pessoas. Recebo dezenas de milhares de mensagens todo dia. São 99 % de mensagens positivas e cheias de amor, 1 % vem um ou outro ‘desavisado’ encher o saco falando algo negativo. Mas aí eu bloqueio e está tudo certo. Esse tipo de energia não quero perto de mim… Mas graças a Deus a maioria são pessoas que me mandam coisas maravilhosas. É muito bacana, mas também é muito assustador! Eu penso: ‘Caramba, 1 milhão de pessoas que me seguem!’. Então de fato, tudo que eu falo, tudo que eu faço, tenho que pensar 10x antes e ter o devido cuidado. Eu acabo servindo de referência para muitas pessoas, então é uma responsabilidade muito grande mas eu adoro essa troca. É a melhor parte da profissão é essa recompensa, feedback, elo que eu acabo criando com as pessoas. Tento de todas as maneiras responder, dialogar e me relacionar com essas pessoas. É impossível responder tudo, mas eu me esforço pra responder o máximo porque eu gosto muito de receber esse carinho.

INVOGA: SE VOCÊ REUNISSE EM UM ENCONTRO TODAS AS PERSONAGENS QUE JÁ INTERPRETOU, QUAL SERIA SUA FAVORITA? VOCÊ ACHA QUE QUEM SERIA AMIGA DE QUEM?

BF: Que pergunta maravilhosa, adorei! Ninguém nunca havia me perguntado isso antes. Se eu pudesse reunir as personagens, sem dúvidas, a Celina de ‘Tempo de amar’ ia ficar amiga da Fernanda de ‘Amor sem igual’. Elas têm muita coisa em comum como esse senso de justiça, a empatia de ajudar o próximo, são muito amorosas, carinhosas e acreditam no amor verdadeiro! Então, eu acho que elas iam se dar muito bem! Já a Bárbara de ‘Malhação’ e a Nicole de ‘Verão 90’ ambas tinham temperamentos muito complicados, então, acho que iam, de alguma forma, acabar se desentendendo! Porque as duas são osso duro de roer, viu? Rs, adorei!

INVOGA: SE VOCÊ ENCONTRASSE COM A BARBARA DO FUTURO, JÁ IDOSA, O QUE PERGUNTARIA A ELA OU COMO IMAGINA QUE ELA SERÁ?

BF: Eu faria uma pergunta simples, na verdade: se ela foi feliz, se ela teve uma vida feliz. Porque eu, com 27 anos, eu sou muito feliz e só sei agradecer por tudo que eu tenho. Saúde, uma família maravilhosa, ter oportunidades na vida, ter livre arbítrio, trabalhar com que gosto. Eu só agradeço! Então eu perguntaria a ela se ela continuou sendo feliz até os seus 80 e poucos anos.

INVOGA: SE VOCÊ PUDESSE REENCONTRAR A SI MESMA QUANDO CRIANÇA, O QUE DIRIA PARA ELA?

BF: Eu falaria para ela não levar tudo tão a sério. Porque tem coisas na vida com as quais temos que nos preocupar. E eu acabei colocando um peso tão grande em coisas pequenas e eu era quem mais sofria com isso, gastando minha energia, tirando minha paz, me desgastando, perdendo meu sono, meu sossego. Então é isso, falaria para se preocupar com as coisas que realmente importam… não levar a vida tão à sério.

 

INVOGA: COMO VOCÊ ENCARA AS MUDANÇAS EM SUA VIDA, TENDO COMO EXEMPLO A MUDANÇA DE EMISSORA? VOCÊ GOSTA DE VIVER NOVOS CICLOS, FASES, LUGARES?

BF: Eu acho fundamental. Mudanças são o que movem a vida. Tudo na vida, natureza, planeta, tudo é cíclico, são fases. Desde as estações do ano… tudo. O que não é normal é as coisas ficarem paradas no tempo. O tempo passa, as coisas amadurecem… o normal é a mudança! A vida é feita disso. Então, eu encaro dessa forma. A mudança de emissora também encarei dessa forma. É um novo lugar onde poderei ter encontros especiais, conhecer pessoas incríveis, ter novas oportunidades de trabalho e isso me encanta muito! Eu com certeza olhei e encaro de forma positiva porque a vida é dinâmica, a vida é uma montanha-russa! Então ou a gente dança conforma a musica ou a gente perde o baile!

INVOGA: QUAL SUA PRETENSÃO E PROJETOS PARA A CARREIRA DE ATRIZ, TENDO EM VISTA AS MUDANÇAS QUE ESTÃO ACONTECENDO NO FORMATO DAS PRODUÇÕES? PODEMOS TER ALGUM SPOILER? 😊

Eu quero continuar trabalhando com que gosto, explorar essas novas possibilidades de streamings que estão vindo com tudo agora. Mas eu já tenho um trabalho em vista e em breve vou poder falar… em breve, vocês me verão na telinha de novo!

_________________________________________________________________________

Foto: Guilherme Lima
Stylist: Samantha Szczerb
Makeup: Everson Rocha
Hair: Fellipe Parks
Apoio: Hotel Vila Santa Teresa

Agradecimentos: Poema Hit, Eva, Duloren, By Segheto, Metally e Schut

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *