“EMPREENDER É SONHAR, ACREDITAR E TIRAR DO PAPEL”

No #InVogaPersona dessa semana, um dos maiores digitais influencers do Brasil - e do mundo - Kadu Dantas, fala o que este ano trouxe em sua vida e as mudanças que provocou em sua carreira que, agora, também conta com a faceta de empreendedor

O mineiro Kadu Dantas vem de uma trajetória de sucesso na moda e como produtor de conteúdo nas redes sociais. Neste ano de 2020, de um um desejo, surgiu um novo negócio: a Nutty Friends. A Pasta de Amendoim sem conservantes, zero açúcar e com alto teor de proteína tem, em cada detalhe, pedaços de amor de Kadu e Peter, seu namorado norte-americano.

“Eu não consigo entender como alguém lança algo e não consome o que faz. Só aqui em casa, eu e o Peter comemos 2 frascos de Nutty Friends por semana. Ou seja, nós vendemos algo que realmente amamos, consumimos e acreditamos. O sucesso é consequência disso. Ah, é preciso ser também um pouco cara de pau, rs.”

Em um ano aonde não só sua carreira se ressignificou como também, sua vida pessoal. Conversamos com Kadu sobre passado, presente e futuro, não só dele, mas como da moda também. “Acredito que aquela moda arrogante, não inclusiva, preconceituosa, discriminatória e que não tem preocupação sócio-ambiental não terá mais lugar no mundo.”

 

Confira o bate-papo completo abaixo:

 

INVOGA- Kadu, em sua trajetória, antes de cursar jornalismo, você quase concluiu Odontologia. Ou seja, por muito pouco, deixou de atuar em uma área completamente diferente da sua atual. Como você enxerga e a que atribui a coragem e iniciativa de escolher um outro caminho? Você diria que foi questão de propósito?

KD: Foi uma mudança radical, porém necessária. Quando decidi cursar odontologia, eu morava em Alfenas, tinha 17 anos (ano 2000) e estava muito deprimido devido aos constantes bullying que recebia por ser gay. Só para você ter uma ideia, Alfenas tem duas Universidades de Odontologia: uma particular e outra Federal. Eu agarrei a primeira oportunidade que tive para mudar de lá (Alfenas, sua cidade natal) e conseguir recomeçar minha vida distante daquelas pessoas. Prestei vestibular para a UNAERP em Ribeirão Preto, passei e me mudei pra lá. Foi libertador. Porém, estava cursando algo que não gostava. Não achava justo continuar fazendo algo que não iria exercer. Foi quando, em Dezembro de 2003, desisti do curso e fui morar em Belo Horizonte. Foi lá que comecei e cursar jornalismo, profissão que sempre amei.

 

INVOGAComo mineiro, o que você mais sentiu saudades da sua cidade quando se mudou para São Paulo? Hoje, depois de tantos anos viajando para outros países a trabalho e morando na terra da garoa, se sente parte da cidade de São Paulo ou suas raízes mineiras ainda são presentes no seu dia a dia?

KD: De Alfenas eu sinto falta dos meus familiares, da cidade em si, que é uma graça. Mas, hoje sinto que pertenço a São Paulo, cidade que me abraçou, me recebeu para uma nova jornada e que me deu inúmeras oportunidades. Não me imagino morando em nenhum lugar do mundo que não seja aqui. Mas, veja bem, sou geminiano, com ascendente em Aquário e lua em escorpião. Ou seja, posso mudar de ideia em 5 minutos quanto a isso. Rs!

 

INVOGA- Você, que já dirigiu uma agência e hoje está à frente da Nutty com Peter, pode nos dizer quais as características de um empreendedor? O que uma pessoa que deseja ter seu próprio negócio precisa saber para iniciar esse caminho?

KD: Bom, primeiro é preciso acreditar no que você vai lançar. Ser corajoso, saber que nada acontece da noite para o dia, ser persistente, honesto com seu público alvo/clientes/consumidores. Eu não consigo entender como alguém lança algo e não consome o que faz. Só aqui em casa, eu e o Peter comemos 2 frascos de Nutty Friends por semana. Ou seja, nós vendemos algo que realmente amamos, consumimos e acreditamos. O sucesso é consequência disso. Ah, é preciso ser também um pouco cara de pau. Rs…

INVOGA- O que você tem a dizer sobre as mudanças no mercado da moda neste ano de 2020, no qual a pandemia redefiniu e ‘balançou’ em tantos aspectos? Você acredita em mudanças irreversíveis no mundo fashion daqui pra frente?

KD: Bom, eu acredito que aquela moda arrogante, não inclusiva, preconceituosa, discriminatória e que não tem preocupação sócio-ambiental não terá mais lugar no mundo. Hoje em dia, as redes sociais ajudam a fazer com que as marcas sejam pressionadas a terem essas preocupações, que são fundamentais para um mundo mais plural, onde todos se reconheçam numa campanha, revista ou desfile. Todos ganham com isso, inclusive as marcas. E sim, são irreversíveis.

 

INVOGA- Quanto ao futuro na moda e internet: quais são as expectativas para quem empreende no mercado virtual, seja como produtor de conteúdo ou dirigindo alguma marca, seja de moda ou qualquer outro nicho?

KD: A pandemia acelerou a entrada de muitas marcas, seja pequena ou gigante, na internet de maneira completa. Marcas como a Dior, que tinham planos para lançar seu e-commerce de produtos de beleza no Brasil só em 2022, acabou lançando esse ano. Assim como ela, mercadinhos de bairros, que mal aceitavam cartões como forma de pagamento, estão fazendo vendas por WhatsApp. Isso é muito interessante pois cria mais oportunidades para todos, inclusive produtores de conteúdo, que são pessoas fundamentais para fomentar essas vendas online. As pessoas descobriram de fato a comodidade de comprar pelo celular e isso gerou vendas online com números estratosféricos esse ano. Portanto, investir no mercado virtual é fundamental para quem quer continuar com seu negócio.

 

INVOGA – Quais foram as maiores lições que este ano de 2020 te proporcionou como profissional e como cidadão? (Os impactos na vida pessoal X profissional)

KD: Como influenciador digital, tudo mudou. Precisei repensar meu conteúdo, com mais opinião, menos fora da realidade e mais preocupado com o próximo. Aprendi que o silêncio é posicionamento, o quão privilegiado eu sou ao ponto de não saber sobre algum assunto e poder me informar sobre ele para ter uma opinião e, assim, ajudar meus seguidores e compreendê-lo melhor também. Isso se refletiu de maneira positiva, tanto na minha vida pessoal quanto na profissional.

 

INVOGA- A Nutty surgiu de um desejo pessoal seu e do Peter, pois ele desejava adquirir um produto que só encontrava nos Estados Unidos. Você concorda que esse é um dos segredos para o sucesso no negócio: a paixão por seu produto e a vontade de proporcioná-lo para as pessoas que têm o mesmo interesse que você?

KD: Com certeza! A pasta de amendoim é o alimento número 1 na mesa dos norte-americanos e o Peter é um especialista. Como todo bom apaixonado, ele tinha vontade de produzir algo parecido com o que ele consumia lá. Daí, como uma parte da família do meu pai mexe com amendoim há quase 100 anos, conseguimos desenvolver um blend especial, com o sabor das pastas de amendoim americanas. Essa paixão nos motiva a levar nosso produto para as mesas dos nossos consumidores.

 

INVOGA- Qual a importância da ideologia da marca quanto ao aspecto da criação de um produto saudável, divertido e diferente? Vocês atrelam isso ao lifestyle de vocês?

KD: Um dos motivos de criar a Nutty Friends com um visual super alto astral e com personagens coloridos é o fato de termos tido essa ideia no meio da quarentena, num momento onde as pessoas estavam tristes. Pensamos em criar um produto alegre, que levasse além de sabor, leveza e diversão para a vida das pessoas, atrelado ao fato de ser saudável, nutritiva e saborosa.

INVOGA- A aposta no público jovem que busca ter maior consciência e responsabilidade social com o meio ambiente e com um lifestyle mais saudável exige um know-how desse movimento atual e cada vez mais acelerado. Como é trabalhar acompanhando tantas novidades, tendências e estímulos para se manter criativo nos negócios e em sintonia com o público de vocês?

KD: Nossa, não é fácil. Requer um olhar atento em tudo que está à nossa volta, além de muito cuidado. Procuramos criar um produto que impactasse o menos possível no meio ambiente. Nossa embalagem é de vidro e tampa de metal, possibilitando nossos consumidores a não descartar o frasco e reaproveita-lo como vasinho, porta temperos ou, até, porta lápis. Nosso público é muito ligado nisso e adora. Procuramos entender esse movimento sócio-ambiental responsável para lançar nossos produtos.

 

INVOGA- Como empreendedores, quais os próximos passos no planejamento do futuro da Nutty? Afinal, empreender é um exercício diário de novos aprendizados e mudanças, concorda?

KD: Sim! Temos tantas ideias que fica até difícil as vezes. Empreender é sonhar, acreditar e tirar do papel. Temos muitos projetos para Nutty em 2021, mas ainda não podemos contar.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.