A LEVI’S CELEBRA O PODER DAS MULHERES NA CAMPANHA “I SHAPE MY WORLD”

A Levi’s® conquista a lealdade dos fãs, geração após geração, com um espírito inovador desde 1873, lança o “I Shape My World”, uma iniciativa global dedicada a celebrar e elevar as mulheres extraordinárias que movimentam o mundo todos os dias. Inspirada pela campanha indiana “I Shape My World” (“eu dou forma a meu mundo”) de 2017, a Levi’s® levou essa iniciativa de empoderamento das mulheres um passo adiante ao criar uma campanha global unificada, inclusiva a todos os que se identificam como mulheres.

Odara Dèlé // foto divulgação

Inspirada pela campanha indiana “I Shape My World” (“eu dou forma a meu mundo”) de 2017, a Levi’s® levou essa iniciativa de empoderamento das mulheres um passo adiante ao criar uma campanha global unificada, inclusiva a todos os que se identificam como mulheres.

“Ficamos tão inspirados pela campanha que começou na Índia há dois anos, que a elevamos e a tornamos global. Este ano celebramos mulheres de dez países – ativistas e artistas que estão mudando o mundo ao mostrar a sua voz. Nós honramos essas mulheres e esperamos inspirar as mulheres em todo o mundo a fazer o mesmo”, disse Marina Kadooka, Gerente de Marketing da Levi’s®.

“I Shape My World” comemora o espírito de empoderamento das mulheres e a determinação para inspirar mudanças. A campanha conta a história de mulheres que estão se empenhando ativamente em consertar algo que elas acham que não faz sentido em seu mundo – seja iniciando um movimento global ou mudando algo pequeno em sua própria vizinhança.

Há mais de 40 colaboradores de todo o mundo participando da campanha “I Shape My World” de 2019; Brasil, Índia, México, Rússia, Tailândia, Turquia, Estados Unidos e muito mais. Desde lutar contra os estereótipos femininos da sociedade a assumir uma posição para algo em que elas realmente acreditam, abaixo estão algumas das mulheres e como elas estão moldando seu mundo.

BRASIL

Odara Dèlé, professora e desenvolve ações diversas nas áreas educacionais, culturais e tecnológica em São Paulo, com objetivo do fortalecimento identitário de crianças e jovens negros e não-negros para que possam compreender os elementos culturais e históricos formativo do Brasil. Recentemente sofreu uma ação racista por parte de alunos na sala de aula e isso não a impediu de seguir com seu projeto Alfabantu, lançado em 2017. A empresa desenvolve aplicativos e livros para formação de professores na inserção de crianças no processo de alfabetização com conteúdos africanos e afro-brasileiros, que já circulou em Portugal, Angola e Reino Unido.

Monique Evelli, idealizadora e sócia em diferentes negócios de comunicação, educação e empreendedorismo sustentável. Criadora de conteúdo, Monique foi selecionada pela Forbes em 2017 no “30 Under 30” que aponta pessoas com menos de 30 anos, empreendedores e criadores, que estão mudando o mundo. Monique é sinônimo de empreendedorismo jovem e feminismo negro.

Monique Evelli // foto divulgação

ÍNDIA

Atriz contemporânea de Bollywood, Swara Bhasker acredita em falar o que pensa. Poucos são tão francos quanto ela sobre a realidade da indústria cinematográfica hindi. “É muito importante que as mulheres vejam outras mulheres fazendo algo positivo”. Swara tem sido ativa e vocal sobre os estereótipos existentes no cinema hindi, da discriminação de gênero, características pré-definidas de uma atriz típica e o retrato das mulheres na sociedade. Sua crença em elevar-se acima do medo e falar é o que molda sua história.

MÉXICO

Maria Osado estava cansada de ver o mesmo tipo de modelos nos outdoors e revistas do México. “Eu venho de um mundo muito restritivo, então criei uma agência de modelos com uma abordagem diferente para a diversidade.” Maria fundou a Güerxs, agência de modelos que está redefinindo como o México vê a beleza.

RÚSSIA

Para muitas mulheres na Rússia, o lar nem sempre é um lugar seguro. Anna Rivina está dando a elas um lugar para ir. “Percebi que não posso simplesmente esperar, tenho que agir”. Com uma rede de amigos e colegas ativistas, a advogada fundou a Nasiliu.net, uma rede de advocacia online que está mudando a conversa nacional sobre violência doméstica.

TAILÂNDIA

Como fotógrafa, Supattra Munsawaeng conhece o significado de um sorriso. Então, quando ela aprendeu sobre as dificuldades que as crianças com fissura labial e paladar experimentam, ela entrou em ação. “Se nos concentrarmos em nosso papel, colocarmos esforços em nosso trabalho e nos comunicarmos usando nossos sentimentos genuínos, isso refletirá em nossa visão do mundo.”

PERU

Por ser uma criança com asma, ?ahika Ercümen foi instruída a ficar dentro de casa o máximo possível. Mas ela encontrou sua forma de sair (ou de mergulhar). “A paixão em mim é mais forte que a asma.” Através do mergulho, ela transformou sua fraqueza literalmente em força. “Passamos a tentar o que não foi tentado antes, forçando limites e unindo as pessoas ao fazê-lo.” Hoje, ela é mergulhadora recordista mundial, palestrante motivacional e defende jovens atletas com deficiências.

ESTADOS UNIDOS

Em 14 de fevereiro de 2018, o impensável aconteceu na Marjory Stoneman Douglas High School. E enquanto muitos recuavam após a tragédia, Delaney Tarr e seus companheiros sobreviventes entraram em ação. “Após a tragédia, não tive escolha a não ser me tornar ativa.” O resultado foi um dos maiores protestos de controle de armas liderado por estudantes na história dos EUA. Um ano depois, ela não pensa em parar. “Sabemos o que queremos e sabemos como conseguir isso, e não vamos esperar mais”.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.