QUINTAIS DA PURIFICAÇÃO

ilustração: Dan Mesquita

Estar sob o céu de Santo Amaro é como passar um bálsamo na alma. No calor de um sol pra cada um, deixamos o axé das baianas bebês acompanhadas de suas mães matriarcas com mãos ricas de vasos e águas de cheiro lavar a essência de nós. O coração sente o contentamento energético, como num passe, ouvidos, cabeça, olhos e paixões se lava, purificando nossa existência. Agora o sol não causa mais espanto.

Ao ver um corpo fora de si, o cortejo se inicia na Casa de Dona Canô, que, além de ser uma referência junto ao solo do sertão do recôncavo, é nítida a concentração máxima de um polo energético. Maria Bethânia parece carregar em si o altar mais alto de sua matriarca. Bethânia sai de sua casa acompanhada de Mabel Veloso abrindo os caminhos e percorrendo as ruas ao som das charangas até a Matriz. “Nesse percurso” é onde tudo acontece, percebemos que queremos um vida inteira e não pela metade, cada um sente o que a alma quer falar, há de se agradecer pelo ano que se inicia na lavagem do Andro de Nossa Senhora e banhar-se de alfazemas trazidas pelas deusas de branco. Sem sombras regadas à batuques de onda dos tambores, Santo Amaro é de fato o umbigo do mundo.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.