DIÁRIO DE CUBA POR MILENA HOLANDA

Arquiteta cearense, Milena Holanda, compartilha seu diário de bordo com impressões e dicas e algumas descobertas de Cuba.

Quando decidimos ir pra Cuba realmente não sabíamos o que nos esperaria, apenas sabíamos que seria uma experiência completamente diferente de tudo já vivido. Mesmo pesquisando muito sobre o país em blogs de viagem e conversando com amigos que já tinham ido, ficou a dúvida se seria bom ou não. Mas nos aventuramos a passar um final de ano diferente. Logo ao chegar no aeroporto de Havana, já dá pra perceber como o país ficou parado no tempo. Uma fila enorme de cubanos e turista para comprar o cartão de internet e decidimos trocar o dinheiro no hotel. Ficamos hospedados no Iberostar Grand Packard, em Havana Velha, um hotel recém inaugurado e mega moderno. O caminho até o hotel já foi despertando nossa curiosidade e ficamos prestando atenção em tudo. O quarto, serviço e atendimento das pessoas foram impecáveis, contrariando o que já tinha lido sobre os cubanos serem pessoas rudes.


No primeiro dia fizemos um City tour num carro conversível antigo e preferimos conhecer pontos que não ficavam em Havana Velha, já que faríamos essa outra parte a pé. Conhecemos o malecon (a avenida beira mar deles) praça da revolução, o bairro Vedado (um bairro residencial mas que também possui alguns bares frequentados por jovens cubanos) praça John Lenon, o bairro chino. O mais interessante desse passeio foi a conversa com o motorista do táxi. Um cara mega inteligente que além de nos explicar os pontos turísticos também nos falou sobre política e sobre o sistema comunista e sua percepção sobre tudo. Finalizamos no nosso almoço (já reservado no Brasil) La Guarida, bem famoso pelo filme “Morango e Chocolate”. Após o almoço fomos passear a pé pelas ruazinhas de Havana Velha, que pra mim é um dos programas mais legais pra se fazer lá. Andar pelas ruas, observar as casas, o modo de vida dos cubanos, os vendedores de frutas, estávamos encantados com tudo, ainda mais quando encontramos a Calle Obispo, já tinha lido antes, mas não tinham descrito com ela é. Cheia de gente, vários barzinhos tocando salsa ao vivo, mega animada.
A noite pedimos indicação para o hotel de restaurante local. Fomos no La Makina, simples, local e comida deliciosa. Adoramos!


No dia seguinte fomos desbravar Havana Velha a pé (curiosidade que encontramos Catherine Zeta Jones e Michael Douglas entrando para fazer check in no nosso hotel). Passeamos pelo Paseo Del Prado, um boulevard bastante arborizado. Fomos ao Capitólio, Grand Teatro de La Habana, praça central (onde ficam os carros coloridos para serem alugados) e ficamos impressionados pela grandiosidade e imponência das edificações. Claramente percebe-se a influência europeia nessa parte da cidade. E finalizamos o dia tomando o famoso daiquiri no La Floridita.


No nosso quarto dia em Havana resolvemos fazer outro City tour pela parte não turística da cidade, fomos a Miramar, bairro residencial e também onde ficam as embaixadas. Ruas largas e arborizadas e casas com arquitetura de influência americana. Nosso taxista no contou que essas eram as casas dos americanos antes da revolução e tomadas pelo fidel. Foi muito interessante conhecer esse outro ponto da cidade e ter uma visão geral. A noite fomos ver o espetáculo do Buena Vista Social Club que também é bem famoso. Foi o maior “pega turista” da viagem. Pagamos o pacote de jantar, drinks e show. Comida ruim e fomos mal atendidos, mas nada disso perdeu o encanto da viagem, mas não recomendaria. Para compensar a decepção da noite fomos pro badalado Fábrica de Arte cubano. O lugar mais descolado da cidade! Imperdível! Uma antiga fábrica de azeite transformada num espaço de galerias de arte, diferentes ambientes com vários estilos musicais, restaurantes.

Para o dia do réveillon passamos o dia descansando na piscina do hotel para nos preparar para a festa de mais tarde. Fomos para o cabaret tropicana (não foi indicação de ninguém, encontrei esse lugar nas minhas inúmeras pesquisas) e foi outro lugar/experiência surpreendente. Mesas a céu aberto, sob árvores e o verdadeiro show de salsa cubano. Experiência indescritível.
Após nossa estadia em Havana fomos descansar em um resort All inclusive em Varadero, cidade de praia localizada a duas horas de carro de Havana.
O mar foi o mais bonito que já vi na vida! Uma tranquilidade e paz os dias de lá. É o sistema All inclusive (que geralmente eu não gosto) nos surpreendeu positivamente, pelos restaurantes com comidas sofisticadas e saborosas.
Na volta passamos mais um dia em Havana, que deixou um gostinho de quero mais. Foi uma viagem empolgante, reflexiva é encantadora!

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.