FERNANDA PAES LEME É SÓ ATITUDE NA EDIÇÃO 38 DA INVOGA

 

Abram alas que Fernanda Paes Leme (Fê ou Fêpa, ela atende pelos três) quer passar com sua atitude. Atriz, apresentadora e entusiasta do consumo consciente – postura que ela já curtia, compartilhava e exercia em seu dia a dia mesmo antes de o assunto virar trend topic entres os mais atentos, ela levanta a bandeira da causa e dá uma aulinha básica de desapego em seu programa “Desengaveta”, no canal GNT. Encabeçando o time titular de atrizes que escrevem suas próprias falas e usam as redes sociais como palco para, a cada post, se mostrarem mais reais aos seguidores, Fê fez bonito como musa do nosso editorial de capa e, clique após clique, aspa após aspa, vai te fazer entender por que ela é a covergirl da #inVogaAtitude.  

Fernanda veste: vestido Handred @handredstudio

Se a beleza de Fernanda Paes Leme ainda é o que mais lhe chama atenção na atriz (como se fosse possível não chamar), é porque você ainda não conhece a atitude da gata. Sim, porque, assim como o indiscutível sexy appeal, ela também possui umas das personalidades mais deliciosas do meio artístico brasileiro e emprestou um tantão dela para nossa edição. Fê é unanimidade e, depois dos cliques, não se falava em outra coisa no estúdio, senão a luz, a energia e a verdade que ela emana. Mas, rasgações de seda à parte, se teve outro assunto que rendeu no dia das nossas fotos foi consumo consciente. Afinal, falar sobre o tema nunca foi tão urgente e, na presença de uma entusiasta da causa, ele se fez ainda mais pertinente. 

Fernanda veste: blusa Alcaçuz @alcacuz e tênis Vert @vert_shoes

Atualmente apresentando a terceira temporada do “Desengaveta”, programa do canal GNT onde Fernanda invade o closet dos famosos e promove um verdadeiro desapego coletivo, ela garante que nunca foi lá muito consumista, mas que o status das práticas de consumo contemporâneos – assim como a quantidade de coisas que ela acumulava- , fez com que despertasse para o tema. “A gente não tem como se livrar completamente do consumo, porque ele é uma realidade e faz parte da nossa vida. Mas a ideia é consumir de uma forma mais consciente, porque é comprovado que se nós continuarmos nesse ritmo e não desacelerarmos, o planeta vai acabar em um futuro não tão distante assim. Então eu acredito que todo mundo tem, sim, que começar a fazer a sua parte, porque é no micro que a gente consegue atingir o macro. E por que você não pode começar a fazer isso dentro da sua casa e dentro do seu armário?” 

E se o conceito do programa parasse por aí, o trabalho de formiguinha da Fêpa já estava de bom tamanho, mas a cereja do bolo deixa tudo ainda mais incrível: os desapegos dos artistas vão para uma lojinha online (hospedada no site Enjoei), onde qualquer pessoa pode comprar, e todo o dinheiro arrecadado é destinado a projetos sociais. Isso é que é atitude, hein? “Eu acredito que é só tendo atitude – praticando o que você acredita no seu dia a dia – é que faz ela existir de fato. Eu busco através do meu trabalho, principalmente no Desengaveta,  fazer aquilo que eu pratico na minha vida e estimular as pessoas que assistem ao programa a sentirem a vontade de ter essa atitude também. A gente pode, juntos, criar um mundo melhor e ampliar o olhar para a sustentabilidade”. E se na prática parece difícil segurar o cartão de crédito na bolsa na hora de ir às compras, Fernanda dá uma dica até mais importante do que não comprar: comprar com responsabilidade. “Temos que prestar mais atenção naquilo que consumimos, de onde vem, entender a cadeia produtiva, quem fez aquela peça, por que uma é mais cara, e outra mais barata. Eu passei a acreditar muito mais em peças atemporais, do que no que está na moda e acho uma tendência incrível você apostar em peças de brechó, por exemplo. Meu bazar, que tem cinco anos e começou antes do Desengaveta, surgiu justamente por eu olhar para o lado e ver o excesso de coisas que eu tinha, que precisavam ser resinificadas e, assim como no programa, 100% da renda é revertida para projetos sociais”. 

Fernanda veste: top em macramê Artez.z sobre blusa Alcaçuz e tênis Vert

Sobre a carreira (muito bem sucedida, diga-se de passagem) como apresentadora, ela é categórica e não deixa margem para achismos nem quando questionada sobre por onde anda a faceta atriz. “Rótulos não tão com nada. Foi-se o tempo em que éramos só atrizes e fim. A gente é artista, né? E artista pode, deve e é capaz de fazer tudo que ele tem vontade para expressar o que está dentro dele. Eu me encontrei muito como apresentadora, mas isso não anula em nada meu lado atriz. Esse ano, por exemplo, eu fiz dois filmes que vão ser lançados ano que vem. Gosto de atuar, mas a maneira como eu me comunico, que sempre esteve em mim, Fernanda, desde criança, é claro que é muito forte, porque sou eu”. Ponto para a atitude, que, seja na telinha, na telona ou no display dos smartphones, está sempre acompanhando Fêpa. “Com as redes sociais a gente quebrou esse distanciamento que existia entre o público e o ator e, se antes não podíamos nos expor tanto, para não confundir a personagem com a vida real, hoje é exatamente o contrário. Você vê atores sendo escalados por conta do número de seguidores no instagram. É aí que a gente vê a força das redes sociais e dessa necessidade da proximidade com o público. E o que me deixa muito feliz é que o meu me entende e me interpreta muito bem. Eles sabem cada vez mais quem eu sou”. 

Apesar de ser fanzoca de carteirinha das mídias online, dois aspectos das redes sociais preocupam a atriz, principalmente se relacionadas às formas de convívio e consumo que ela estimula. Tanto que, se pudesse desengavetar algo de vez, ela escolheria o ódio gratuito que, muitas vezes, é propagado na internet. “Acho que a gente tem que amar mais o próximo, ter muito mais empatia e não atacar as pessoas porque elas pensam ou são diferentes de você. Afinal, nada tem mais atitude do que você pode ser. Sem máscaras. Simplesmente ser”. Já quanto ao consumo, Fernanda questiona a herança que a era digital tem deixado nas gerações mais jovens. “A velocidade da internet mudou a forma de consumir, e isso tem um lado muito bom, mas tem um lado perigoso também, porque novas sementes foram plantadas na cabeça dessa geração que está chegando. As blogueiras, a quem eu admiro bastante, trouxeram isso do look do dia, que é bacana, mas fazem com que meninas de 12, 13 anos acham que repetir roupa é errado. É aí que mora o perigo, porque essa é a geração que deveria estar mudando essa lógica e salvando o mundo. Por isso é importante que apareçam na moda cada vez mais pessoas que sejam espelho para elas e que desmistificam essa história de que você precisa ter sempre mais para conseguir ser feliz”. Alguma dúvida de que Fernanda é um desses espelhos – e por que não dizer, o mais charmoso deles? 

Fernanda veste: blusa Flávia Aranha

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.