BELEZA SUSTENTÁVEL POR CRIS DIOS

Entusiasta do empreendedorismo sustentável, Cris Dios descobriu desde muito cedo que a beleza - dos seus cabelos e a dos seus negócios, poderia ser orgânica, ambientalmente responsável e muito inspiradora.

Entusiasta do empreendedorismo sustentável, Cris Dios descobriu desde muito cedo que a beleza – dos seus cabelos e a dos seus negócios, poderia ser orgânica, ambientalmente responsável e muito inspiradora. À frente do Laces and Hair, a empresária viu seu desejo por um planeta mais verde se transformar em um case de sucesso.  

Tudo começou lá em 1920 com a vinda do cabeleireiro naturalista João Manuel D. Dios para o Brasil. Os ensinamentos do pai foram passados para a sétima filha, Mercedes Dios, que, em 1987, fundou em São Paulo o Laces and Hair, rede de salões de beleza referência nacional em tratamentos orgânicos e sustentabilidade. Hoje, com a mesma filosofia herdada da mãe e dando continuidade aos produtos naturais criados pela família, a entusiasta do empreendedorismo sustentável, Cris Dios, é quem está no comando da rede e de toda a produção de cosméticos orgânicos usados e vendidos lá. 

Sabe as técnicas low poo e no poo, que ficaram famosas no último ano por promover uma lavagem menos agressiva e mais nutritiva aos fios? Pois bem, elas são usadas há anos no Laces and Hair. Quando Cris começou a vender shampoo sem fazer espuma, estes termos não eram explorados e muito menos popularizados. Agora, a linha natural já existe há duas décadas e meia, enquanto a linha orgânica tem nove anos. Para Cris Dios, um dos desafios de se posicionar com a beleza orgânica é a falta de valor que o brasileiro dá às riquezas da nossa biodiversidade,  que não é encontrada em nenhum outro lugar do mundo.

“Temos seis biomas incríveis, que vão desde um solo árido até um solo de mata atlântica. Está tudo aqui embaixo do nosso nariz, então por que não se desafiar e fazer algo diferente com o que a gente tem de melhor? Isso é o que eu gosto de fazer, e quero inspirar muitas pessoas, porque é possível”. 

Além do desenvolvimento de produtos orgânicos, o Laces conta com uma estrutura física em suas sedes que é  pautada pelos valores da sustentabilidade. Um belo exemplo é o uso da luz fotovoltaica, tecnologia que capta a energia solar e, quando não está em uso, fica disponível para o bairro em que você mora.

“Sabemos que o meio ambiente precisa ser preservado, então temos uma pegada ecologicamente responsável e tentamos reduzir ao máximo o uso e descarte. Usamos bastante a luz natural e captamos a água da chuva para purificá-la e, depois, lavarmos os cabelo das clientes com ela. Quando essa água sai do lavatório, vai para outra estação de tratamento, onde é purificada novamente e reutilizada para regar as plantas e limpar a parte externa do salão. O planeta vive sem a gente, mas nós não vivemos sem ele”, ressalta. 

Trazer esse diferencial “green” ao salão foi algo que despertou em Cris quando começou a trabalhar no Laces com a mãe, ainda aos 15 anos. Desde então, uma das maiores conquistas da empresária e da sua equipe foi o lançamento, este ano, da primeira coloração vegetal 100% natural do Brasil. Foi um longo processo de quatro anos de pesquisa, e o resultado é uma tinta feita com as cores encontradas na natureza, que não só colore, mas também trata o fio com o poder das plantas.

“Ter um espaço de beleza onde encontrar esse bem-estar é algo gradual e em que o ambiente faz parte de todo o conceito é um grande desafio. A gente fala que não faz cabelo, a gente cuida dele, e a ideia é você entender as necessidades de cada pessoa, quem ela é e qual o tempo que ela tem para se cuidar. Buscamos ensinar hábitos saudáveis através de um trabalho menos químico, com uma beleza mais gradativa e que venha de dentro,  porque acreditamos muito no equilíbrio entre corpo, mente e alma”, celebra. 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.